Depósito de veículos da Polícia Civil em São José dos Pinhais é possível foco de Aedes Aegypti

Vereador Tadeu Camargo denunciou situação alarmante.

            Mesmo com diversas campanhas de prevenção ao mosquito Aedes Aegypti, que pode transmitir o vírus da dengue, zica e chicungunha, ainda há vários possíveis depósitos de água parada em diversos locais do município. Um desses locais é o depósito de carros apreendidos pela polícia civil do Paraná, localizado na BR 376 próximo a entrada do município. O vereador Tadeu Camargo denunciou a situação durante a sessão ordinária da Câmara dessa terça-feira (08).

            Na ocasião, o vereador apresentou fotos do local, onde é possível encontrar até uma caçamba de caminhão repleta de água parada. “Nós como fiscalizadores deste município não podemos deixar passar uma situação dessa causada pelo próprio poder público”, disse. Tadeu destacou que os órgãos da prefeitura já fizeram o que lhes cabia, autuando e notificando várias vezes o local.

            Segundo Tadeu, os veículos são apreendidos pela delegacia de furtos e roubos de Curitiba, localizada no bairro Vila Izabel e, devido às reclamações dos moradores da região, o depósito foi removido para São José dos Pinhais. “Se é uma situação que compreende a jurisprudência da capital, por que nós temos que abrigar esses carros velhos que representam, claramente, um perigo iminente de dengue e outras doenças?”, questionou o vereador.

            O ex-secretário de meio ambiente, vereador Gastão Vosgerau, acredita que é necessária uma legislação específica para os casos de apreensão de veículos. “Além de ser um perigo, ainda o poder público paga, com o dinheiro do contribuinte, o aluguel desses depósitos. Temos que cobrar de nossos representantes federais para que ajam de maneira a diminuir o tempo de permanência dos automóveis nesses locais”, sugeriu.

            O 6º Grupamento de Bombeiros de São José dos Pinhais também emitiu certificado de risco iminente e, além disso, a vigilância sanitária e secretaria municipal de urbanismo não emitiram alvará de funcionamento do local. “Isso é uma vergonha e um descaso de todos os poderes envolvidos nessa situação. O governo estadual simplesmente não respeita a legislação local. Temos que cobrar das autoridades estaduais e federais uma atitude para que o problema seja solucionado o mais breve possível”, finalizou Tadeu Camargo.

Vereador Tadeu Camargo denunciou possível criadouro do mosquito Aedes Aegypti

Renata Teixeira Gomes
Assessoria de Imprensa 09.03.2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *