CPI das imobiliárias retorna às atividades

Comissão reuniu-se nessa terça-feira (03)

            A CPI das imobiliárias voltou a reunir-se, na manhã dessa terça-feira (03) para dar continuidade às suas atividades. A Comissão, presidida pelo vereador Luiz Paulo e composta pelos vereadores Professor Abelino, Alberto Setnarsky, Tadeu Camargo e Gilberto Melo, investiga fatos relativos a conflitos entre moradores que adquiriram lotes e imobiliárias. Também colaboram para os trabalhos líderes comunitários e advogados do Legislativo.

            De acordo com Fernando Curi, advogado, os trabalhos foram divididos em quatro fases: Instalação e escolha dos membros; requisição de documentos e visitas; análise de documentos, avaliação de possível perícia e depoimentos e elaboração de relatório conclusivo. “Estamos encerrando a segunda fase e solicitando os últimos documentos necessários. Em alguns dias daremos início à análise das informações”, explicou o vereador Luiz Paulo.

            Estima-se que há, no município, cerca de quatro mil processos relacionados à habitação. Muitos deles devem-se ao fato de a cidade ter crescido demasiadamente desde meados da década de 1990, quando grandes montadoras de veículos instalaram-se na região, o que gerou alta da especulação imobiliária. “Das cerca de 300 tentativas de conciliação entre imobiliárias e mutuários apenas 10 foram concluídas, pois, os valores cobrados são absurdos e os moradores não têm condições de pagar”, disse Cícero Alves dos Santos, líder comunitário.

            Segundo mutuários, os terrenos eram comprados por um valor e o contrato apresentava taxas de juros abusivas e ilegais. Na ânsia de livrarem-se de aluguéis, muitas pessoas que não tinham conhecimento a respeito do assunto adquiriram os lotes. Após não conseguirem mais arcar com as dívidas, as famílias entraram na justiça pedindo a revisão dos contratos e, segundo elas, foram enganadas por advogados que prometiam ganhar as causas em menos de três anos. No entanto, isso não ocorreu e vários moradores foram despejados ou sofrem com processos intermináveis.

Renata Teixeira Gomes
Assessoria de Imprensa 04.02.2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Feedback
Deixe-nos um elogio:
Feedback

Deixe-nos sua sugestão:

Escreva sua reclamação:

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support