Professor Abelino quer extinguir uso de antipó no município

Segundo o vereador, comunidade tem reclamado da qualidade do material utilizado.

          Após pedir a suspensão de implantação de antipó nas ruas dos bairros Guatupê, Ipê e Jardim Cristal devido à má qualidade do material, o vereador Professor Abelino apresentou, juntamente com a comissão de viação e obras públicas do legislativo, projeto de lei que proíbe a prática no município.

            O vereador tem solicitado ao executivo durante os últimos dois meses que interrompa o serviço e contrate material e mão de obra de qualidade. Segundo ele, a comunidade tem sofrido com a lama e o pó oriundos das pavimentações. Apesar dos constantes esforços, o pedido não foi atendido ainda, fato este que levou o vereador a apresentar denúncia ao Ministério Público do Paraná.

            Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal dessa quinta-feira (07), Abelino comentou a iniciativa. “Foram gastos, em um ano, mais de dois milhões de reais com esta lama asfáltica. Acredito que este dinheiro foi jogado fora, o certo seria gastar um pouco mais com recapeamento, que é mais duradouro e eficaz”, disse. O vereador também destacou que cerca de vinte vias estão sendo pavimentadas sendo que nenhuma contempla a região do Guatupê.

            “O antipó tem aquele fino pó de pedra que vai para os bueiros e consequentemente para os rios, além disso, o este material pode trazer sérios riscos à saúde de pessoas com alergias. Em relação às despesas, em princípio é mais oneroso, porém em longo prazo esta prática  torna-se mais econômica devido à diminuição em relação  aos consertos e tapa buracos nas ruas de nossa cidade”, finalizou. O projeto segue para apreciação da comissão de constituição e justiça e posterior votação.

Renata Teixeira Gomes
Assessoria de Imprensa 11/08/2014 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *