Comissão da Educação reúne secretarias

Foram discutidos problemas enfrentados pelas escolas em seus ambientes

          A Comissão de Educação, Esporte e Lazer da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Professor Abelino e composta pelos vereadores Luiz Paulo e Lucia Stoco, reuniu, na tarde dessa segunda-feira (05), várias secretarias. O objetivo do encontro foi a união de esforços entre segmentos para amenizar problemas de indisciplina e violência enfrentados nas escolas do município.

            Participaram da discussão, a secretária municipal de educação, Neide Setim; o secretário municipal de assistência social, Imar Augusto; a presidente dos conselhos escolares, Solange Simão, o chefe de operações da Guarda Municipal, Barreto; representantes do Ministério Público e secretaria de saúde. A principal preocupação apresentada pela Comissão foi o índice de violência no entorno das instituições de ensino, fato que prejudica a administração escolar e o aprendizado.

            A vereadora Lucia Stoco sugeriu a volta de programas sociais, atividades cívicas, e contratação de psicólogos e inspetores para as escolas. “Temos que inserir valores na vida das crianças, além de encontrar uma forma de aproximar os pais da escola, principalmente os de alunos indisciplinados e com dificuldade de aprendizado”, disse.

            Para Neide Setim, o desmantelamento familiar tem prejudicado muito a administração da educação. “Estamos trabalhando com a falta de educação, tentando amenizar situações nas escolas, pois os professores tem que assumir o papel da família, mas essa não é a função deles que é, essencialmente, ensinar. A educação vem de casa, mas infelizmente, os valores familiares hoje em dia estão perdidos”, explicou a secretária.

            Foram apresentados, pelas pastas, os programas que são executados nas escolas e que ainda poderão ser implantados, como o Saúde na Escola, Proerd, entre outros. O secretário Imar Augusto também falou sobre os programas e cursos oferecidos pela Assistência Social e que esses tem tido pouca procura da população. Sobre os problemas de violência no entorno das escolas, e que atingem alunos e professores, o representante da Guarda, Barreto, afirmou que o trabalho ideal seria o de prevenção, mas que, no entanto, não há viaturas suficientes para atender toda demanda.

Renata Teixeira Gomes
Assessoria de Imprensa 06/05/2014


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *