Vereadores questionam convênio entre secretaria de transporte e Infraero

Tadeu Camargo pediu vistas a decreto que autoriza Guarda Municipal a exercer poder de polícia de trânsito nas vias do aeroporto.

            Os vereadores reuniram-se, na manhã desta quinta-feira (24), com o superintendente da Infraero, Antônio Pallu para esclarecer dúvidas geradas por termo de convênio entre o município e o órgão que administra o Aeroporto Internacional Afonso Pena.

            De acordo com o decreto, o termo de cooperação técnica tem por objetivo dinamizar a atuação da prefeitura, através da secretaria de transporte, para que  a GM possa exercer o poder de polícia de trânsito nas vias situadas no sítio do aeroporto. O vereador Tadeu Camargo pediu vistas ao decreto, durante a sessão ordinária da Câmara desta quinta-feira (24), para melhor análise e aperfeiçoamento do mesmo. “A comunidade nos cobra o porquê da transferência de guardas, tão necessários ao combate à violência no município, para o aeroporto e o termo de convênio não deixa as condições muito claras”, disse.

            Segundo Pallu, a função da Guarda Municipal no aeroporto, com a aprovação do decreto, seriá fiscalizar o trânsito, ordenando o fluxo e aplicando notificações. “Um aeroporto cria vários benefícios para a cidade, mas também gera impactos, pois, há circulação de cerca de 50 mil pessoas por dia e, de acordo com nova regulamentação, a prefeitura é que deve fiscalizar, em conjunto com a polícia militar, o tráfego no local”, explicou o superintendente.

            Os vereadores questionam o convênio porque, em nenhum momento é citado a fiscalização de táxis piratas e pela falta de infraestrutura de estacionamento que o aeroporto oferece aos proprietários de veículos. “Não adianta só mandar a Guarda ir lá multar todo mundo, é necessário que a Infraero crie melhores condições de paradas de carros aos seus usuários. A maioria dos motoristas não comete infrações por vontade própria, mas porque simplesmente não têm onde parar seus veículos”, sugeriu o vereador Professor Marcelo.

            Para Pallu, o entendimento é diferente. Segundo ele, a falta de infraestrutura adequada não tem a ver com a fiscalização. “O estacionamento particular do aeroporto também tem tolerância de 15 minutos, assim como as paradas nas vias, o que compensa a falta de vagas. Queremos que a GM fiscalize os motoristas que cometem infrações como estacionar na calçada ou em vagas para deficientes. Para esse tipo de transgressão, não há desculpa”, disse.

            Outro questionamento dos vereadores e da população é sobre a falta de guardas municipais, que poderão deixar de atender ocorrências no município por estarem fiscalizando o tráfego no aeroporto. O corregedor da Casa, vereador Onildo, sugeriu modificação da redação do convênio e realização de reunião com a secretaria municipal de transporte e trânsito para modificações necessárias. Também estiveram presentes, além dos citados, os vereadores Doutor Ido, Bira do Banco, Alberto Setnarsky, Luiz Paulo e José Vieira.

Renata Teixeira Gomes
Foto: Fernanda Grebogy

Assessoria de Imprensa 24/10/2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Feedback
Feedback
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support