Delegado Gil Tesseroli fala sobre superlotação da delegacia central

A convite do vereador Onildo, o delegado falou na tribuna popular do Legislativo

 

 

            Gil Rocha Tesseroli, delegado de São José dos Pinhais, compareceu à sessão ordinária da Câmara Municipal desta quinta-feira (07), para falar sobre a superlotação da delegacia central do município. A convite do vereador Onildo (PT), o delegado utilizou-se da tribuna popular do Legislativo.

            Onildo parabenizou o delegado pela rápida resolução do assassinato da adolescente Paloma dos Santos, caso que teve repercussão em todo país. Porém, o vereador demonstrou sua preocupação em relação à superlotação da delegacia central e sobre os carros apreendidos que estão estacionados em frente a mesma. “Gostaria de saber se há algum projeto para desafogar a delegacia e para transferência dos carros pois, na minha opinião, ela deveria ser só de atendimento ao público, com prisões esporádicas”, questionou o vereador.

            Em resposta, Tesseroli afirmou já ter entrado em contato com a Secretaria Estadual de Segurança Pública e polícia civil para tentar resolver o caso da superlotação. “É um absurdo, a carceragem tem capacidade para 36 presos e hoje está com 141. Esse é um problema nacional, mas acredito que São José dos Pinhais, pela sua posição econômica e social, não merecia passar por esta situação”, declarou.

            Para o delegado a dificuldade envolve questões burocráticas e sociais. “Muitos presos tem entrado e poucos têm saído da prisão. Existem muitas burocracias judiciais que prejudicam o fluxo e a solução imediata seria a construção de mais presídios. No entanto, o mais correto seria investir em educação, saúde e qualidade de vida”, sugeriu. Em relação aos carros apreendidos que estão estacionados em frente à delegacia, Tesseroli afirmou que eles serão removidos ainda esta semana.

            Ao ser questionado pelo vice-presidente da Casa, vereador Sylvio Monteiro, por fuga ocorrida ontem e manutenção de pessoas já sentenciadas na delegacia, o delegado assegurou ser a informação procedente. Segundo ele, o marginal fugiu por uma passagem de 30 por 30 centímetros de diâmetro, utilizada para comunicação dos policiais com os presos, e há 14 pessoas já sentenciadas e que ainda não foram transferidas para presídios.

            Os demais vereadores também fizeram uso da palavra para questionar e sugerir soluções ao delegado e demonstraram estarem abertos para dialogar e auxiliar a polícia no que for necessário. Tesseroli finalizou sua fala pedindo a ajuda da população para que denunciem os crimes. “É muito importante participar deste espaço para que a comunidade saiba que nossa situação é difícil, mas que com a ajuda de todos podemos fazer um bom trabalho”, disse.

            Após a explanação do delegado, também fez uso da tribuna o comandante da Guarda Municipal, Altair Mariot, para eesclarecer dúvidas sobre o desarmamento da guarda. “As armas são utilizadas apenas no horário de serviço. Estamos tentando junto a Polícia Federal para que os guardas possam ter o porte durante todo tempo”, explicou o comandante.

Vereador Onildo questiona o delegado
O comandante da Guarda Municipal, Altair Mariot, também utilizou a tribuna popular.

Renata Teixeira Gomes
Assessoria de Imprensa 07/04/2011

 

 

Clique 2 vezes na foto e a veja em alta resolução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Feedback
Feedback
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support